Sistemas de Informação Geográfica – Epidemiologia

 

Quando? (11 sessões: 3ªs feiras às 17h30 e sábados às 14h – Para mais informações sobre o horário, clique aqui) – 7, 11, 14, 18, 21, 25, 28 de março, 1, 4, 11 e 22 de abril.  A apresentação dos trabalhos será no dia 22 de abril. 

Onde? à distância em tempo real ou presencial no Edifício Egas Moniz da Faculdade de Medicina de Lisboa.

Como inscrever-se? Registe o seu interesse no formulário de pré-inscrição (link). Ser-lhe-à, posteriormente, enviado um formulário de inscrição. Será necessário juntar: CV resumido, carta de motivação, certificado de licenciatura/mestrado (digitalizado) e comprovativo de pagamento.

Qual e o valor e prazo da inscrição? Até 21 fev’23, a inscrição é de 375€. Após 21 fev’23, o valor será de 450€.

Quais são as condições para a atribuição das Bolsas UEPID?  Será atribuída uma Bolsa UEPID, no valor de 75% da inscrição. Para consultar o regulamento, clique aqui

Introdução

A epidemiologia espacial refere-se ao estudo da distribuição geográfica da saúde e da doença; fundamenta-se em dados espaciais e utiliza sistemas de informação geográfica e de análise estatística adequados às diferentes escalas. A disponibilidade de dados georeferenciados possibilita uma análise mais fina da distribuição espacial dos resultados de saúde e dos factores de risco, permitindo, por exemplo, identificar relações entre uma doença e o envolvente ambiental.

O Sistema de Informação Geográfica (SIG) é um instrumento importante na epidemiologia espacial por permitir associar dados alfanuméricos à informação de base geográfica. Deste modo, o SIG faz a interacção entre dados alfanuméricos presentes em bases de dados e a base geográfica, permitindo a análise transversal de dados ambientais (físicos e socioeconómicos) e de saúde (ou doença e morte), no espaço geográfico (diferentes escalas: Bairro, concelho, região, etc.) e no tempo.

Na área da saúde, só muito recentemente os SIG têm vindo a revelar-se como instrumentos privilegiados, não só nos estudos da epidemiologia espacial mas, também, como suporte à decisão no planeamento dos serviços de saúde ou no planeamento das respostas dos profissionais de saúde perante uma situação de emergência ou de desastre. Embora a utilização do SIG tenha grandes potencialidades, o seu uso em saúde depende, de forma definitiva, da validade e da adequação dos dados.

Por outro lado, a estatística geográfica permite interpretações rigorosas dos padrões espaciais dos resultados em saúde, utilizando modelos matemáticos para descrever a distribuição espacial dos fenómenos que são objecto de estudo e, ainda, métodos de aglomeração espacial (clustering) que permitem evidenciar, complementarmente, as heterogeneidades espaciais.

Objetivos 

Este curso, cuja organização esteve a cargo da Unidade de Epidemiologia, Instituto de Medicina Preventiva, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa teve como principais objectivos:

  • Promover a compreensão quanto à importância dos sistemas de informação geográfica (SIG) na saúde – epidemiologia espacial
  • Promover a familiarização com o ambiente ArcGIS
  • Integrar dados reais de saúde em SIG
  • Capacitar para a elaboração de mapas que descrevem os dados de saúde no espaço (cartografia/mapeamento)
  • Capacitar para análises espaciais e interpretação de dados de saúde em termos espaciais
  • Capacitar para visualização de dados de saúde de forma dinâmica

Porquê escolher este curso?

A pandemia de COVID-19 tornou ainda mais visível a importância da cartografia/mapeamento de condições ambientais e de saúde e sua evolução, e da identificação dos locais de maior pressão nos sistemas de saúde. Este curso dá resposta à necessidade de os profissionais de saúde (entre outros) incorporarem ferramentas, algumas delas potenciadas por algoritmos, que os auxiliarão numa tomada de decisão mais consciente.

No final do curso estará em melhor posição para:

  • Interpretar adequadamente a informação espacial de dados de saúde
  • Tomada de decisão baseada em evidência epidemiológica espacial
  • Definir prioridades de intervenção baseada na distribuição de fenómenos relacionados com saúde

Conteúdos Pragmáticos

  • Conceitos básicos de Epidemiologia, Epidemiologia Geográfica, tipos de análise e métodos. Definição de SIG e sua aplicabilidade.

  • Introdução ao interface do ArcGIS Pro e Modelo de dados SIG e sua gestão em ArcGIS.

  • Conceitos subjacentes aos estudos epidemiológicos. Tipos de estudos epidemiológicos

  • Simbologia e rótulos dos dados geográficos.

  •  Junção e articulação entre diferentes componentes necessários para a elaboração de layouts.

  • Funções de partilha de mapas em ArcGIS.Sistemas de coordenadas geográficas e projectadas. Classificações de sistemas de coordenadas projectadas. Projeção on-the-fly. Sistemas de referência em Portugal e Regiões Autónomas.

  • Impacto da análise de dados de saúde em diferentes escalas. Obstáculos na Epidemiologia Espacial. Múltiplas Fontes de Dados Espaciais.

  • Funções de manipulação de dados tabulares em SIG. Representação espacial de dados a partir de coordenadas. Geocodificação de endereços com base em tabelas de dados.

  • Introdução e tipos de Análise Espacial: sobreposição e proximidade.

  • Análise Espacial Estatística. Visualização dinâmica de dados temporais.  

Destinários

Destina-se a licenciados, mestres e doutorados em Medicina, Enfermagem, Ciências Farmacêuticas, Ciências Biomédicas, Ciências da Saúde, Ciências Sociais e Humanas, Técnicos Superiores de Saúde, Diagnóstico e Terapêutica, Geografia, bem como a investigadores ou outros profissionais do sector da saúde com interesse na análise espacial.

Docentes Responsáveis 

Doutora Liliane Morais (ISAMB-FMUL)

Metodologia de Ensino

A formação será realizada através de aulas teórico-práticas, sendo a exposição teórica concisa e sempre suportada por demonstração e exercícios de análise com o software ArcGIS Pro e bases de dados reais, na área da saúde. Análise e discussão crítica dos diversos outputs produzidos pelo ArcGIS Pro. 

Certificação

O curso desenvolve-se em 36 horas lectivas e 108 horas não lectivas, num total de 144 horas de aprendizagem. Este curso tem avaliação de aprendizagem e é creditado em 5 unidades de crédito ECTS.

Requisitos

Os alunos devem trazer o seu portátil pessoal. Membros da UL já têm acesso ao software da ArcGIS; para quem não for membro da UL e frequentar o curso será atribuída uma licença de 1 ano.

O portátil necessita de alguns requisitos mínimos, para que o software tenha um bom desempenho. Para informações relativas aos requisitos, por favor contacte lilianemorais7@hotmail.com

Condições de inscrição

As pré-inscrições estão abertas através do preenchimento do formulário aqui.

Este deve ser acompanhado de:

  • Carta de motivação,
  • Curriculum vitae resumido,
  • Certificado de Licenciatura, e
  • Comprovativo de pagamento da propina.

Para saber mais sobre este curso, por favor, contacte-nos por email: mepidemiologia@medicina.ulisboa.pt